Nosso blog

O que vende as propagandas de smartphones no Brasil?

Tese analisa a relação do homem com a tecnologia no contexto do imaginário construído pelas propagandas de smartphones veiculadas no Brasil.


Cinco smartphones
















Vivemos uma época em que a tecnologia funciona como parte funcional e determinante da vida de boa parcela da população. Somos influenciados de forma direta pelas tecnologias, verdadeiras "extensões do homem", como preconizou McLuhan há mais de cinquenta anos.

As mudanças podem ser observadas não só no tempo (tudo cada vez mais rápido, ágil) e no espaço (globalização, quebra de fronteiras), mas também no campo da cultura. A tecnologia passa a influenciar também na questão do status, dos padrões de comportamento. Não queremos estar atualizados tecnologicamente por questão de agilidade, praticidade. É também uma ideia de adequação social.

Pensando nisso, a comunicóloga Maria Martha Bruno de Arruda baseou sua tese de mestrado no estudo das propagandas de smartphones no Brasil. O que elas vendem? Por que tanta gente se interessa por comprá-las?

É sabido que o mercado publicitário, sempre antenado, "transmite em escala global valores e virtudes que determinam aspirações pessoais e profissionais que, sem que percebamos, orbitam nosso universo com suas referências sobre os mais diversos assuntos", explica Maria Martha.

O indivíduo, então, imerge em um cenário de abundância de informação, pressão pela conectividade, sucesso nos planos pessoal e profissional, bem como pré-disposições internas como a superação, a autonomia e a capacidade para dar conta de diversos papéis e demandas ao mesmo tempo.

Para perceber que as propagandas vendem tudo isso, é simples. Basta dar uma olhada em alguns vídeos e cartazes que foram objetos de estudo de Maria Martha. "Valorização da autonomia e autossuficiência, unicidade, autenticidade, atitude, todas essas características são bastante exploradas em comerciais de smartphones, que apresentam personagem e situações que, associadas aos aparelhos, criam estereótipos de independência e estilo", avalia.

Impressionante como é realmente assim. Abaixo, alguns exemplos que serviram de base para o estudo.

http://www.youtube.com/watch?v=KC2Mn8d_Egc
http://www.youtube.com/watch?v=ytxdXqDZlX4
http://www.youtube.com/watch?v=xZSI56rTs_8&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=DBI6twsO6KI


comentários via Disqus