Muitos dos empreendedores de sucesso, como Bradley Smith, CEO da Rescue One Financial, e Mark Zuckerberg, todo poderoso do Facebook, são considerados verdadeiros heróis. Comemoramos o crescimento incrivelmente rápidos das suas empresas. "Mas, muitos deles, carregam seus demônios secretos: antes de se tornarem grandes empreendedores, eles lutaram por momentos de ansiedade quase debilitante e desesperado, em que tudo parecia desmoronar"."/>
Nosso blog

O lado negro do empreendedorismo

Muito se fala das maravilhas de ser um empreendedor, e o assunto é a bola da vez. Mas ninguém, até agora, tinha parado para pensar do quanto o preço psicológico do empreendedorismo pode ser caro e brutal.

Foi o que fez a articulista Jessica Bruder, em seu artigo "The Psychological Price of Entrepreneurship", publicado originalmente na Inc. Magazine.

Muitos dos empreendedores de sucesso, como Bradley Smith, CEO da Rescue One Financial, e Mark Zuckerberg, todo poderoso do Facebook, são considerados verdadeiros heróis. Comemoramos o crescimento incrivelmente rápidos das suas empresas. "Mas, muitos deles, carregam seus demônios secretos: antes de se tornarem grandes empreendedores, eles lutaram por momentos de ansiedade quase debilitante e desesperado, em que tudo parecia desmoronar".

Muito se fala das maravilhas de ser um empreendedor, e o assunto é a bola da vez. Mas ninguém, até agora, tinha parado para pensar do quanto o preço psicológico do empreendedorismo pode ser caro e brutal.

Foi o que fez a articulista Jessica Bruder, em seu artigo "The Psychological Price of Entrepreneurship", publicado originalmente na Inc. Magazine.

Muitos dos empreendedores de sucesso, como Bradley Smith, CEO da Rescue One Financial, e Mark Zuckerberg, todo poderoso do Facebook, são considerados verdadeiros heróis. Comemoramos o crescimento incrivelmente rápidos das suas empresas. "Mas, muitos deles, carregam seus demônios secretos: antes de se tornarem grandes empreendedores, eles lutaram por momentos de ansiedade quase debilitante e desesperado, em que tudo parecia desmoronar".

Toby Thomas, CEO do EnSite Solutions, explica o fenômeno com sua analogia favorita: um homem montado em um leão. "As pessoas estão pensando: Esse cara tem bravura! e ele está pensando: Por que diabos eu vim parar em cima de um leão? Como eu faço para ele não devorar?".


Um homem montado em um leão



Nem todo mundo aguenta o peso. Em janeiro, o conhecido fundador do e-commerce Ecomom tirou a própria vida. Sua morte abalou a comunidade startup.

Ela também reacendeu a discussão sobre empreendedorismo e saúde mental, que começou há 2 anos após o suicídio de Ilya Zhitomirskiy, de 22 anos, co-fundador da Diaspora, uma rede social.

Ultimamente mais empreendedores começaram a falar sobre suas lutas internas na tentativa de combater o estigma sobre a depressão e a ansiedade que faz com que seja difícil para os doentes procurar ajuda.

Em um post profundamente pessoal chamado, "When Death Feels Like a Good Option", Ben Huh, CEO dos sites de humor Cheezburguer escreveu sobre seus pensamentos suicidas após o fracasso de uma startup em 2001.


Homem em cima de uma pedra dentro da água



Sean Percival, ex-vice-presidente do MySpace e co-fundador da startup de roupas para crianças Wittlebee, escreveu um post chamado, "When It's Not All Good, Ask for Help", em seu site. "Eu estava na beira do abismo e quase desisti de tudo no ano passado por conta da depressão... Se você está prestes a desistir, por favor contate-me".

Se você é empreendedor, tudo isso pode acabar soando familiar pra você. É um trabalho estressante que pode criar turbulência emocional. Para começar há o grande risco do fracasso.

A estatística afirma que, 3 em cada 4 startups falham, de acordo com uma pesquisa feita por Shikhar Ghosh, um professor da Harvard Business School. Ghosh também constatou que mais de 95% das startups ficam aquém de suas projeções iniciais.

Os empreendedores muitas vezes conciliam muitos papéis e enfrentam inúmeros contratempos: clientes perdidos, disputas com parceiros, aumento da concorrência, problemas de pessoal, tudo ao mesmo tempo.

Para complicar as coisas, os novos empreendedores muitas vezes tornam-se menos resistentes por negligenciar a sua saúde. Eles comem demais ou muito pouco. Eles não dormem o suficiente.

Por isso não deve ser nenhuma surpresa o fato de empreendedores experimentam mais ansiedade do que seus empregados.

Na última Gallup-Healthways Well-Being Index, 34% dos empreendedores se declararam preocupados, 4 pontos a mais do que os outros trabalhadores. E 45% dos empreendedores disseram que estavam estressados, 3 pontos a mais do que os outros trabalhadores.

Os empreendedores são vulneráveis para o lado negro da obsessão, sugerem os pesquisadores da Swinburre University of Technology in Melbourne, na Austrália.

Eles realizaram entrevistas com fundadores de um estudo sobre a paixão empreendedora. Os pesquisadores descobriram que muitos empreendedores tinham sinais de obsessão clínica, incluindo forte sentimento de angústia e ansiedade.


Desenho de pessoas


























John Gartner, psicólogo que leciona na Johns Hopkins Medical School, reforça essa mensagem. Gartner afirma que um temperamento muitas vezes negligenciado pode ser responsável por alguns pontos fortes dos empreendedores, bem como suas falhas.

Não importa o seu perfil psicológico, grandes problemas no seu negócio podem abatê-lo. Mesmo os empreendedores experientes tiveram o tapete puxado.

Embora o caminho empreendedor seja sempre um caminho selvagem, cheio de altos e baixos, há coisas que os empreendedores pode fazer para ajudar a manter suas vidas fora de um espiral fora de controle.

Quando se trata de combater a depressão, o relacionamento com amigos e familiares podem ser armas poderosas. E não tenha medo de pedir ajuda.

Freeman também aconselha que os empreendedores devem limitar a sua posição financeira. Quando se trata de avaliação de risco, os pontos cegos dos empreendedores muitas vezes são grandes o suficiente para causar prejuízo.

As consequências podem agitar não apenas a conta bancária, mas também os níveis de estresse. Portanto, defina um limite para o quanto de seu próprio dinheiro você está preparado para investir.

A capacidade de reformular o fracasso e a perda podem ajudar os líderes a manter uma boa saúde mental.

Em vez de dizer a si mesmo, eu falhei, o meu negócio falhou e, eu sou um perdedor, olhe com perspectivas diferentes. Quem não arrisca não petisca. A vida é um constante processo de tentativa e erro. Não exagere a experiência.

Por último esteja aberto sobre seus sentimentos. Máscaras não fazem suas emoções. Quando você está disposto a ser emocionalmente honesto, você pode se conectar mais profundamente com as pessoas ao seu redor.

Marcos Freitas

comentários via Disqus