Nosso blog

Empresas monitoram como clientes se sentem sobre suas marcas

Reconhecimento de emoções é uma área emergente da inteligência artificial.


Ilustração mostra pessoas dando opinião sobre um assunto



O mesmo princípio utópico da Internet - que permite que as pessoas se comuniquem livremente ao redor do mundo - o torna um alvo atraente não apenas para vigilância do governo, mas também para a fiscalização das empresas na forma de percepções da marca. As empresas querem saber o que está sendo dito sobre suas marcas.

Já sabemos que uma imagem vale mais que mil palavras e continuam a representar um desafio maior para os sistemas de inteligência artificial do que o texto, mas com mais de meio bilhão de imagens compartilhadas online todos os dias, as empresas realmente querem saber o que os usuários e clientes estão transmitindo sobre suas marcas e o que usam.

Ditto Labs, uma empresa de análise social com sede em Boston, tem o uso de tecnologias de visão computacional emergente perfeita para dar a resposta. Ele usa visão computadorizada para identificar logos nas fotos compartilhadas no Facebook , Twitter, Instagram e Tumblr . O sistema também reconhece certos padrões de indicadores, como por exemplo, uma peça xadrez Burberry.

Se um produto nem aparece direito na foto, o serviço então usa algoritmos de reconhecimento de emoção para relatar o que as pessoas na foto estão sentindo no momento.

Reconhecimento de emoções é uma área emergente da inteligência artificial. Algumas das técnicas básicas surgiram a partir de pesquisas destinadas a ensinar crianças com autismo a reconhecer os sentimentos dos outros. Várias empresas já oferecem o serviço para outras empresas para construir em seus aplicativos e serviços.

Usando metadados e reconhecimento facial básico, Ditto Labs também pode dizer quando e onde as pessoas usam seus produtos, qual raça, cerca de quantos anos eles têm e o que eles estão fazendo em fotos antes e depois de usar os produtos. Todas essas informações estão disponíveis para os comerciantes corporativos.

Embora os leitores que usam as mídias sociais possam se sentir violados por este tipo de observação, os termos de serviço da maioria dos sites colocam as fotos como públicas. Aqueles que postarem fotos no Twitter e Pinterest devem compartilhar publicamente. O Instagram tem padrões para postagens públicas, mas os usuários podem limitá-las apenas para seguidores aprovados. O Facebook é o mais privado a respeito disso.

Com a forte demanda por este tipo de informação, parece provável que as fotos compartilhadas nas redes sociais estarão sujeitas a mais aplicações nos próximos meses. Não seria surpreendente ver o Facebook lançar sua própria plataforma de análise.

A Go2web tem a plataforma hermes para análise de marcas de empresas e produtos. Uma solução completa e robusta, totalmente web, que permite as empresas de comunicação, marketing e branding entregar, da melhor forma possível, todo o valor de suas respectivas áreas de atuação. Este software cria também uma enorme base de conhecimento dos seus clientes.

comentários via Disqus