Nosso blog

Bilinguismo luso-brasileiro: eu digo 'Brasiu', ele diz 'Purtugal'

Eu tomo café da manhã, ele toma pequeno almoço. Eu tomo leite na xícara, ele toma café na chávena. Eu tomo uma chuvinha besta, ele apanha uma chuva molha parvos. Eu tomo um sorvete de creme, ele toma um gelado de natas. Eu tomo um chope, ele toma uma imperial. Eu tomo um porre, ele apanha uma bebedeira.


Foto de Ruth Manus, colunista do Estadão

Eu pergunto se ele viu minha meia-calça marrom e ele diz que não, não viu meus collants castanhos. Eu pergunto se ele vai de terno, ele me diz que não vai de fato. Eu uso calcinhas, que ele diz que são cuecas, ele usa boxers, que eu digo que são cuecas. Eu digo que é uma camiseta bonita, ele diz que é uma t-shirt gira. Eu digo que a nova camisa do Cruzeiro está linda, ele diz que a nova camisola do Porto está brutal.

Eu digo para de frescura e ele me diz não me venhas com fitas. Eu digo que ele não sabe porra nenhuma, ele diz que eu não sei a ponta de um corno. Eu digo se agasalha direito, ele me diz tapa-te bem. Eu digo muito, ele diz bué.

Eu pergunto se nossos amigos vão trazer as crianças e ele diz que, sim, eles trazem os putos. Eu pergunto se elas estão fazendo o álbum da Copa e ele diz que sim, elas estão a fazer a caderneta do mundial. Eu pergunto se eles têm figurinhas para trocar, ele me diz que eles têm cromos repetidos.

Eu pergunto se vamos de trem, ele diz que vamos de comboio. Eu digo que o encontro em 10 minutos no ponto do ônibus e dez minutos depois ele me diz que já está na paragem do autocarro. Eu digo que o pedágio é carésimo, ele diz que a portagem é um balúrdio. Eu digo que precisamos parar no posto e ele diz que logo ali há uma bomba.

Eu digo que esse goleiro é muito ruim, ele concorda dizendo que é mesmo um guarda-redes muito mau. Eu berro que o atacante estava impedido, ele berra que o avançado estava fora de jogo. E digo que o juiz tá de sacanagem, ele diz que o árbitro está a gozar. Eu digo que não foi escanteio, foi tiro de meta, ele concorda que não foi canto, foi pontapé de baliza.

Eu digo que adoro a Whoopi Goldberg em Mudança de Hábito, ele diz que nunca assistiu a Do Cabaré Para o Convento. Eu digo que nunca assisti a O Poderoso Chefão, ele diz que eu preciso assistir a O Padrinho. Eu digo que parei de ver Bastardos Inglórios no meio, ele diz que eu tenho que acabar de ver Sacanas Sem Lei.

Eu digo que TST é Tribunal Superior do Trabalho, ele diz que TST é Transportes do Sul do Tejo. Eu digo que ABL é Academia Brasileira de Letras, ele diz que ABL é Associação de Basquete de Lisboa. Eu digo que Itau é um banco, ele diz que Itau é Instituto Técnico de Alimentação Humana (e eu digo que falta um H nessa sigla).

Eu digo que comprei caquis, ele diz que comprou dióspiros. Eu peço para ele comprar abobrinha e alho poró, ele compra courgette e alho francês.

Eu digo que gosto de bolo salgado, ele diz que gosta de bôla. Eu digo que gosto de rocambole, ele diz que gosta de torta. Eu digo que gosto de torta, ele diz que gosta de tarte.

Eu digo que era um bando de estelionatários, ele diz que era uma corja de aldrabões. Eu digo que o cara é um babaca, ele diz que o gajo é um parvalhão. Eu digo que o vestido é cafona, ele diz que o vestido é piroso. Eu digo que a dona do vestido é uma patricinha, ele diz que é uma betinha.

Eu digo que temos um problema de sílaba tónica, ele concorda. Eu digo que quero comer sushí, ele diz que também quer comer súshi. Eu digo que vou de metrô, ele diz que me pega na saída do mêtro. Eu digo que o hotel se chama tívoli, ele diz que se chama tivolí. Eu digo que busco a miúda no judô, ele diz que ela sai do jûdo no fim da tarde.

Eu digo carinho, ele diz festinhas. Eu digo beijo tchau, ele diz beijinhos grandes e até logo. Eu digo eu te amo e ele poderia dizer amo-te, mas, no fim das contas, ele acaba dizendo eu tambaim q'rida.

Sorte a minha.

Ruth Manus
ESTADÃO



E o que falar sobre a escrita de textos na área de Sistemas de Computação na língua de Camões.

Escrever textos sobre Sistemas de Computação em uma língua diferente de inglês nunca foi fácil. Duas coisas agravam ainda mais a situação quando se trata de traduzir termos técnicos para o português do Brasil.

O primeiro problema é o complexo de inferioridade do brasileiro em relação à sua língua, que o faz pensar que tudo que é dito em português "soa mal" por mais preciso e elegante que seja, enquanto que tudo que é dito em inglês "soa bem" por mais milk-shakeônico que seja. Por exemplo, franceses e espanhóis traduzem o termo "mouse" para as suas línguas enquanto que os brasileiros acharam que seria ridículo traduzir para "rato". Como se o termo "mouse", em inglês, tivesse alguma elegância ou superioridade...

O segundo problema é que, desde 1995, muitos termos de sistemas de computação caíram na boca do povo leigo. Daí, muitos termos que já eram consagrados no português (como por exemplo, "núcleo" para se referir à parte do SO que é executada em modo protegido, sendo a tradução padrão de "kernel") caíram na boca de milhões de pessoas que, por preguiça ou desconhecimento, passam a usar o termo em inglês no lugar do termo já consagrado em português.

Outro dia, no programa Bola na Rede, o Kajuru (aquele comentarista esportivo) disse que é um absurdo o Juca Kfouri falar em "sítio da Internet", que o correto é "site da Internet". Uma completa inversão de valores.

Em meus textos, e nos de meus orientandos, eu gosto de ver um cuidado especial para com a nossa língua. Termos que já possuem traduções consagradas para o português devem aparecer em português. Termos novos que poderiam ser traduzidos facilmente, devem ser traduzidos. Se houver perigos de mal entendidos, é aconselhável que, na primeira ocorrência do termo, se coloque, entre parênteses em itálico, o termo equivalente em inglês.

Por outro lado, se for muuuito difícil traduzir um determinado termo sem comprometer o entendimento do texto ou se o termo estrangeiro é de uso padrão no português, aí devemos usar o termo em inglês, em itálico. Em alguns casos extremos de palavras já incorporadas ao português há mais de uma década, como nos neologismos "software", "byte" e "middleware", o itálico é desnecessário.

Aliás, um dado interessante é que muitos dos erros apontados abaixo foram cometidos por mim quando eu era aluno de graduação e de mestrado. Na época, meus professores me alertaram sobre esses erros e eu fui tentando melhorar o meu português aos poucos.

É bom não se esquecer que uma língua é algo vivo, dinâmico. Uma tradução "errada" ou uma falta de tradução depois de repetida por muitos anos acaba, por bem ou por mal, se tornando uma tradução "correta".

A seguir, uma pequena lista de termos que são normalmente mal traduzidos. Recomendo especial atenção a eles.

Termo em inglêsTradução corretaTradução indesejável
advice (AOP)adendoconselho
audioáudioaudio
Autonomic ComputingComputação AutônomaComputação Autonômica
assumesuponha, considereassuma
assumptionpressuposto, suposição, assunção
[dynamic] bindingenlace [dinâmico], associação
to checkverificarchecar (não é errado)
correctnesscorreçãocorretude
to customizepersonalizar, configurar, particularizarcustomizar
to crashcair
conservativeconservadorconservativo
containercontêinercontainer
to debugdepurardebugar
debuggerdepuradordebugador (argh!)
debuggingdepuraçãodebugação (sfurtz!)
a dependable systemum sistema no qual se pode confiar (depender)um sistema dependente
dependabilityconfiança no funcionamentodependência
effectiveeficazefetivo
to elicitprospectar, eliciar (fig.), coletar, obter, descobrir, extrair, capturarelicitar
eventuallymais cedo ou mais tarde, finalmente, futuramente (algo que vai acontecer eventually, vai acontecer com certeza em algum instante futuro)eventualmente, possivelmente
embeddedembutido (mais correto), embarcado (mais usado)embebido
(wave) envelopeenvoltória (de onda)envelope (de onda)
to envelopeenvolverenvelopar
faultfalha, falta
failuredefeito, avaria, (falha pode ser usada se o contexto permitir)
idiomexpressão idiomáticaidioma
indentationindentação (prefiro), endentação
maintainabilitymanutenibilidade, manutenabilidade
mandatoryobrigatóriomandatório
membership serviceserviço de pertinência
middleware (plural)sistemas de middlewaremiddlewares
mission critical systemssistemas críticos à missãosistemas de missão crítica (não tenho certeza de que está errado, alguma opinião?)
to overloadsobrecarregar
to overridesobrepor
pervasive computingcomputação ubíqua (ubiquitous computing é usado como sinônimo de pervasive computing em 95% dos casos)computação pervasiva (a tradução correta seria computação permeada, mas alguns pesquisadores preferem criar o neologismo computação pervasiva)
plain texttexto purotexto plano
principalsujeito, entidadeprincipal
proceduralprocedimentalprocedural
randomaleatóriorandômico
realisticrealistarealístico
requestrequisição, pedido
requirementsrequisitosrequerimentos
to requireexigir, necessitar, requerer
to return Xdevolver X, fornecer Xretornar X
to return (intransitivo)voltar, retornar
reusereúsoreuso
to run (a program)executarrodar (aceito informalmente)
safetysegurança no funcionamento
securitysegurança, segurança no uso
serializationseriaçãoserialização
system under testsistema em testesistema sob teste
software (plural)sistemas de software, programassoftwares
to supportprover, dar suporte, implementar, incluir, comportar, contemplar, oferecer, disponibilizarsuportar (não é errado se usado como sinônimo de sustentar; é apenas feio :-)
technical debtdívida técnicadébito técnico
test-first programmingprogramação com testes a priori
test-driven developmentdesenvolvimento guiado por testes (prefiro) ou desenvolvimento dirigido por testes
to tracerastrear
tracerastreamento, rastro (?)traço (?)
unit teststestes de unidadetestes unitários (blergt :-)
aspectaspecto
aspect weavercombinador
corenúcleo
concern (AOP)interesse
to crosscutentrecortar
cloud computingcomputação na nuvem, computação em nuvem
crosscuting concerninteresse transversal (melhor) ou interesse entrecortante
data miningmineração de dados
data warehousearmazém de dados (mais usado), depósito de dados
deadlockimpasse, travamento
defaultpadrão, valor padrão
the default value is Xpor omissão, considera-se o valor X; o valor padrão é X.
delayatraso
deploymentimplantação
early aspectsaspectos iniciais
eXtreme ProgrammingProgramação eXtrema
file systemsistema de arquivos
frameworkarcabouço
GridGrade
hackgambiarra
hostmáquina, hospedeiro, computador
inter-type declarationdeclaração intertipos
jobtarefa
join pointponto de junção
kernelnúcleo
layoutleiaute, formato
lockbloqueio
name spaceespaço de nomes
nestedaninhado, encaixado
offsetdeslocamento
open sourcecódigo aberto
obliviousnessinconsciência
overheadcusto adicional, carga extra, sobrecarga (alguns pesquisadores não gostam da tradução para sobrecarga (eu gosto :-) pois sobrecarga também é a tradução de overload; use apenas se o sentido estiver claro)
overlay networkrede sobreposta
parseranalisador, analisador sintático
pair programmingprogramação em pares
payloadcarga útil
performancedesempenho (alguns julgam que performance é aceitável, mas eu não vejo porque usá-la dado que temos desempenho que é tão elegante e funciona tão bem)
prefetchingtransferência antecipada, busca antecipada
queryconsulta
refactorrefatorar (vem de fatorar novamente, como na fatoração matemática)
refactoringrefatoração
routerroteador
separation of concernsseparação de interesses
scattering (AOP)espalhamento
shardingparticionamento
stakeholdersinteressados, partes interessadas
switchcomutador [de pacotes]
static/dynamic crosscuttinginteresse transversal (ou entrecortante) estático/dinâmico
tangledentrelaçado, emaranhado
tanglingentrelaçamento
themetema
throughputvazão
testbedambiente de/para testes
weaving (AOP)combinação
to wrapenvolver, encapsular
wrapperinvólucro, envólucro


Palavras que muitas vezes não são traduzidas mas que poderiam ser:



assemblermontador
assembly languagelinguagem de montagem
backupcópia de salvaguarda
bugerro
browsernavegador
checkpointponto de salvaguarda
clusteraglomerado (em sistemas), agrupamento (em aprendizado)
to commit, commitconsolidar, consolidação, efetivar (protocolo de efetivação em 2 fases)
designprojeto (ou desenho em alguns casos)
deprecatedpreterido
dummy-objectobjeto fantoche
emailcorreio eletrônico, mensagem
hash tabletabela de espalhamento, tabela de dispersão, tabela de hash
hash functionfunção de espalhamento, função de resumo criptográfico ou, simplesmente, resumo criptográfico
hopsalto
I/OE/S
linkerligador
logregistro
multi-threadedmúltiplos fluxos de execução, múltiplas linhas de execução
page faultfalta de página
patchremendo, componente de atualização
peerpar (cuidado para evitar confusão com par/"pair")
peer-to-peerpar-a-par
pipeduto
pollingvarredura, consulta periódica
proxyprocurador, representante
round-robinrodízio
sitesítio
starvationinanição
stringcadeia de caracteres, cadeia
templategabarito, modelo, molde
threadfluxo de execução, linha de execução, processo leve
trade-offdicotomia (mais ou menos), o melhor é explicar a relação por extenso
vendor lock-inaprisionamento tecnológico
webteia, Web (com inicial maiúscula é o correto quando considerado como nome próprio; assim como Internet, dispensa itálico)



Há ainda algumas palavras que possuem significados diferentes em inglês mas que são traduzidas para a mesma palavra em português. Nesse caso, recomendo a tradução para o português mas que o texto seja estendido de forma a eliminar ambiguidades. Por exemplo, tanto overhead quanto overload podem ser traduzidos para sobrecarga; mas, quase sempre, o contexto deixa claro qual é o significado. Um caso mais complicado é security e safety que são traduzidos para segurança; aí não dá outra, tem que explicar. Algus pesquisadores usam "segurança no uso" para security e "segurança no funcionamento" para safety.

Note que o mesmo problema acontece quando traduzimos do português para o inglês, Ou seja, às vezes, dois termos diferentes em português são traduzidos para a mesma palavra em inglês. Com certeza, os americanos, quando se deparam com esse problema, não consideram a possibilidade de usar o termo em português :-), eles simplesmente se esforçam um pouco mais para re-escrever o texto de forma a eliminar a ambigüidade.

Esta página (Tradução Técnica) está em processo de formação. Sugestões são muito welcome!

Em particular, se voce tiver sugestões de boas traduções para algum dos seguintes termos, mande prá mim: trade-off, renderizar, fixture, checkpointing, device driver. Também tenho dúvidas em relação a usar "invocar" como tradução de "invoke" no contexto de chamada de métodos; se você tiver argumentos bons a favor ou contra, por favor, mande prá mim.

Agradecimentos
Esta página recebeu a contribuição das seguintes pessoas: Arnaldo Mandel, Nelson Posse Lago, Routo Terada, Orlando Loques, Roberto Marcondes, Alfredo Goldman, Livio Baldini Soares, Marcelo Finger, Dilma M. Silva, Rodrigo Castro, Rodolfo Jardim de Azevedo, Tomasz Kowaltowski, Marcus Vinicius, Luis Lamb, Walfredo Cirne, Cecilia Rubira, Luiz Fernando Gomes Soares, Francisco Vilar Brasileiro, Thaís Ruas Vieira, Carlos Maziero, Markus Endler, David, Paulo Veríssimo, Rodrigo C. Vieira, João Eduardo Ferreira, José Carlos Maldonado, Paulo Cesar Masiero, João Dubeux Kawamura, Henrique Brodbec, Mario Domenech Goulart, Fernando Antonio Mota Trinta, Ricardo Ribeiro dos Santos, Fábio Fagundes Silveira, a comunidade AOSDbr, Alcides Calsavara, Leonardo Penczek, Augusto Jun Devegili, Fabiano M. Atalla da Fonseca, Anderson Sanches e Diogo Ramos. Se eu me esqueci d'ocê, por favor, refresque a minha memória :-)


comentários via Disqus